Leia o relatório final sobre a perseguição aos Trabalhadores entregue à CNV

O GT dos Trabalhadores entregou à Comissão Nacional da Verdade na última segunda-feira (08/12) um relatório com o resultado da pequisa, coleta de testemunhos e documentos sobre a perseguição e repressão aos trabalhadores e trabalhadoras durante o período do regime civil-militar em todo o país. Na quarta-feira (10/12) representantes das Centrais Sindicais e da Secretaria Executiva do GT-13 estiveram em Brasília para participar da apresentação do relatório final por parte dos Comissários da CNV.

Ismael de Souza, ex-preso político e membro da CBS (Central dos Sindicatos Brasileiros), representou o GT na cerimônia da OAB, em Brasília.

Ismael de Souza, ex-preso político e membro do GT, representou às Centrais Sindicais na cerimônia da OAB, em Brasília.

No texto, apontamos as seguintes informações:

1) Os trabalhadores e seu movimento sindical constituíram o alvo primordial do golpe de Estado de 1964, das ações antecedentes dos golpistas e da ditadura a seguir imposta;
 
2) O Golpe de 1964 e a ditadura subsequente decorreram de uma aliança civil-militar embasada em um projeto comum e numa ação articulada;

3) A ditadura de 1964 criou um novo regime fabril;

4) A articulação público-privada constituída no âmbito da ditadura de 1964 ampliou significativamente as formas de violência e repressão praticadas contra os trabalhadores;

5) Na ditadura de 1964 empresas estatais tornaram-se laboratórios de monitoramento e repressão;

6) Durante a ditadura de 1964 alterou-se a legislação econômica e trabalhista para viabilizar a superexploração dos trabalhadores e mais rápida concentração de capital;

7) Na esteira das violações de direitos mencionadas ocorreram as graves violações de direitos dos trabalhadores: prisões ilegais e arbitrárias, tortura, assassinatos, desaparecimento forçado, ocultação de cadáver;

8) A classe trabalhadora foi vítima de torturas que resultaram em sequelas físicas e  psicológicas insuperáveis;
     
9) Tem-se notícia de muitas mortes e desaparecimentos forçados de trabalhadores mas os números continuam inconclusivos;

CLIQUE AQUI E LEIA NA ÍNTEGRA O RELATÓRIO SUBSIDIADO PELAS 10 CENTRAIS SINDICAIS EM PARCERIA COM ENTIDADES E ASSOCIAÇÕES DE EX-PRESOS POLÍTICOS, COMITÊS E COMISSÕES DA VERDADE EM TODO O PAÍS, E PESQUISADORES. O DOCUMENTO FOI REDIGIDO PELA DRª ROSA CARDOSO E LEVADO À DISCUSSÃO NO GT DOS TRABALHADORES.

*Por causa do limite no tamanho do documento foram utilizados como exemplos casos emblemáticos.

 

NOSSAS RECOMENDAÇÕES

dff843e41bc095eb87e4a69d82de009bcenter

Presidente Dilma lê cartilha de RECOMENDAÇÕES do GT dos Trabalhadores. Foto: Roberto Stuckert Filho

O GT ainda elaborou uma cartilha dcom as NOSSAS RECOMENDAÇÕES que foi entregue à Comissão Nacional da Verdade e, pelos representantes das Centrais Sindicais, à presidente Dilma Rousseff, na segunda-feira (08/12).

Representantes das Centrais Sindicais entregaram à presidente Dilma cartilha de RECOMENDAÇÕES. Imagem: Reprodução TV Record

Representantes das Centrais Sindicais entregaram à presidente Dilma cartilha de RECOMENDAÇÕES.  Em pé, Antonio Neto (CSB) e sentado de costas Miguel Torres (Força Sindical) Imagem: Reprodução TV Record

O documento sugere, entre outras coisas, mudanças na legislação, como a revisão da Lei de Anistia, a desmilitarização das Polícias Militares e PUNIÇÃO a empresas, empresário e todos que tenham colaborado com a repressão à classe trabalhadora durante o a ditadura civil-militar.

Acesse a cartilha com as NOSSAS RECOMENDAÇÕES.

Anúncios